resenha

Resenha: Diário de um Ladrão de Oxigênio

No final do ano passado a editora Intrínseca lançou aqui no Brasil um livro intrigante intitulado “Diário de um Ladrão de Oxigênio”. A obra já está publicada originalmente em inglês desde 2006 sob o título “Diary of an Oxygen Thief” e trata-se de um livro de memórias de um homem nojento que descreve uma reviravolta em sua vida, descrevendo um “troco” que o desmoronou.

O autor não revela sua identidade, nomeando-se como “Anônimo”, o que já desperta a nossa curiosidade.

O narrador anônimo é um homem irlandês dependente de álcool, paranoico e doentio. Acho que estou sendo até gentil em usar essas palavras, porque o cara é realmente ESCROTO LEVEL HARD. É um dos personagens mais escrotos que já me deparei em minha jornada de leitora. Os leitores de Diário de um Ladrão de Oxigênio precisam de muito estômago e frieza para encarar essa obra repugnante.

O cara é muito mais do que a definição do machismo combinada com mais escrotidão ainda. Além de todo comportamento violento e briguento que ele apresenta em bares que frequenta, ele sente, principalmente, a necessidade de causar dor e sofrimento em mulheres. A visão que ele possui das mulheres é revoltante.

O que ele faz é envolver-se com mulheres, passar-lhes segurança e quando ele percebe que conseguiu a confiança da parceira, termina o relacionamento de maneira grosseira, cruel e absurda. Simplesmente pelo prazer que sente ao fazê-las sofrer, ao ver a decepção e a mágoa em seus olhos. É mesmo um desgraçado.

O livro é dividido em três partes. A primeira delas é uma introdução em que o anônimo nos conta um pouco de sua personalidade e seus vícios, além de um breve histórico do que ele fez com mulheres que se envolveu.

Depois, ele narra como foi que conheceu a tal assistente de fotógrafo que armou toda uma situação e deu o troco nele. E por último, os detalhes de como esse “troco” aconteceu.

O autor informa nomes de algumas pessoas e denuncia um determinado acontecimento (não darei spoilers), o que deixa no ar se tudo isso realmente aconteceu ou não.

Honestamente, o troco que ele recebeu foi muito leve para todo o mal que ele causou a muitas mulheres. Ele merecia muito mais.

É uma leitura repugnante, sem dúvidas. Porém ao mesmo tempo desperta muita curiosidade em uma narração envolvente. Afinal, ficamos ansiosos em ver esse desgraçado se dar mal!

Resenha: Adormecida, de Anna Sheehan

A obra de Anna Sheehan não é exatamente uma versão moderna de A Bela Adormecida, mas uma história totalmente nova que apresenta certa intertextualidade com o conto de fadas.

Trata-se da história de uma menina que é despertada após ter dormido durante muitos e muitos anos num “tubo de estase” (assista ao vídeo e descubra o que é isso). Mas em vez de haver um príncipe encantado apaixonado e ansioso para casar com ela e viverem felizes para sempre, o destino de Rose Fitzroy está bem longe disso: ela tem uma série de problemas bem cabeludos a enfrentar. Digamos que o menor deles é o fato de ela não conhecer mais ninguém num mundo que mudou completamente.

Um conflito bem legal de se explorar mas com um desenrolar que deixou um pouco a desejar.

Não acho que o final tenha sido ruim, até porque não tinha muito como fugir do que acontece conforme a história foi construída (a não ser que a personagem se entregasse numa depressão profunda e vivesse infeliz para sempre, ou que o plastine – leia o livro! – conseguisse matá-la e fim!). Na realidade o problema principal foram as bases, a maneira em que a história foi desenvolvida. (mais…)

Resenha: Harry Potter and the Cursed Child

Depois de muitos anos de imensas saudades da série, J.K. Rowling está de volta com o livro que é o script da peça Harry Potter and the Cursed Child (Harry Potter e a Criança Amaldiçoada). A obra está preenchendo os corações dos Potterheads com toda a nostalgia e amor que sentimos pelo universo mágico e principalmente pelos personagens.

A ansiedade ao esperar o lançamento no dia 31 de julho (aniversário de J.K. Rowling e do Harry) terminou e agora já podemos adicionar às nossas prateleiras o tal oitavo livro da série – somente em inglês, por enquanto.

Parece que há alguns leitores que não curtiram muito a ideia da obra e apontam alguns argumentos (alguns até soltam spoilers) justificando o porquê. Mas aqui também exponho como encarei a história e particularmente amei o livro. Sou bem fã da série, cresci com os personagens e toda a história de Harry Potter tem um grande significado para mim. (mais…)