nacional

Book da Semana: Intergaláctica

Muitos leitores tem bastante receio ao iniciar uma leitura de ficção que envolve muita fantasia e viagens a outros planetas, principalmente pelos casos de tentativas “fail” de histórias inovadoras com universos complexos sem fundamentos. Mas a dica de leitura dessa semana é totalmente o oposto disso! Estou falando de “Intergaláctica: Onde estaria a segunda terra?”, que é o primeiro e sensacional livro da trilogia de F. P. Trotta, um escritor que merece MUITO destaque. Sua obra me impressionou bastante principalmente por ser cheia de detalhes e me deixou super ansiosa pela continuação. Correrei atrás dos próximos volumes!

Nesse primeiro livro conhecemos a protagonista Amanda. Uma garota de muita personalidade e coragem – e haja coragem – que além de ser super inteligente, embarcará em uma missão extremamente perigosa, com o objetivo de impedir seu pai (Oswald) a realizar um grande estrago com a Terra e com a humanidade. Oswald é um personagem que nos deixa boquiabertos pelo extremo de frieza que ele consegue chegar.

A narrativa é muito interessante porque se inicia com a Amanda ainda criança, quando ela faz uma descoberta sobre algo que o pai anda tramando. No capítulo seguinte a cena já é cortada para alguns anos depois, em que ela, agora adolescente, toma uma certa decisão importantíssima em sua vida.

Depois o desenrolar dessa aventura dá continuidade com Amanda já adulta, acompanhada de mais outros três personagens: Striker, Ripley e Lina – cada um com seu jeito e personalidades diferentes, com papéis fundamentais ao longo da história.

É incrível como Intergaláctica apresenta reviravoltas. Há uma série de acontecimentos em planetas diferentes ricamente descritos, sem falar nos diversos momentos de reflexão e filosofia. Mesmo com personagens e planetas fictícios, essa obra nos permite viajar em pensamentos e questionamentos sobre a nossa existência no universo, sobre quem realmente somos, para onde iremos e tudo o mais que desconhecemos.

Intergaláctica foi uma história inédita para mim. Uma experiência única de leitura que gostei muito! Realmente incrível e super indico para aqueles que curtem uma história de ficção científica.

Book da Semana: Faça amor, não faça jogo

E aí, leitores? Como estão vocês?
Este post de hoje é, ao mesmo tempo, Book da Semana e Resenha de um livro muito especial: Faça amor, não faça jogo, de Ique Carvalho (Editora Gutenberg).

Ganhei este livro na Maratona Literária de Carnaval no ano passado, li há alguns meses, me apaixonei por ele mas acabei não publicando resenha na época – só no meu skoob e facebook pessoal, mesmo – e agora estou aqui para compartilhar com vocês porque todo mundo deveria lê-lo.

O primeiro motivo já é suficiente para você ter o livro: o autor é Ique Carvalho, também autor do blog The Love Code. Ele é esperança diante tantas pessoas limitadas que mandam um “tanto faz” pra tudo o que poderiam ter vivido e acabam desperdiçando algo que tinha de tudo para ser intenso e verdadeiro. Por medo, por orgulho, por pensarem demais ou por terem sido influenciados pela opinião de outras pessoas também limitadas, acabaram tornando-se só mais uma porção de babacas no meio de tantos outros.

Ique Carvalho é uma raridade e pessoas como ele estão em extinção nesse mundo em que estamos cada vez mais distantes uns dos outros. (mais…)

Resenha: A razão do universo

Recentemente Felix Richter, também autor de Tem um louco solto na Amazônia, O Conto azul de Leonardo da Vinci e O último urso-polar, lançou seu quarto romance intitulado A razão do universo. Tive o privilégio de recebê-lo um pouco antes de seu lançamento oficial e já imaginava gostar o tanto quanto gostei das outras obras do autor.

Tudo se inicia com a última lembrança de Teo: a discussão que teve no motel com Josephine, sua namorada, que o deixou para trás chateada e decepcionada por suas escolhas.

Teo repentinamente se encontra em um barco no meio da névoa e não sabe de onde veio ou para onde vai, nem mesmo se está vivo. Somente sabe que precisa voltar para Josephine e consertar o desentendimento.

Então a narração divide-se em breves capítulos que ao mesmo tempo em que conhecemos cada vez mais da vida de casal que Teo e Josephine levam, também acompanhamos a sua trajetória na nova realidade desconhecida e repleta de desafios que serão solucionados com a sua própria consciência e valores. (mais…)