clássico

Book da Semana: Sandman – Noites sem Fim

Depois de ficar muito tempo em destaque, “Como é que chama o nome disso” finalmente saiu dessa seção (que durou quatro semanas, não?) . Quem agora entrou em seu lugar foi mais um volume presente nas minhas aventuras no universo das HQs – um mundo que conheço pouco mas que tenho total admiração.

Claro que Neil Gaiman está presente neste mundo. Seria improvável se não estivesse.

Depois de ter conhecido e adorado “Os Livros da Magia”, fui presenteada no meu aniversário com “Sandman – Noites sem Fim” com direito a café, torta holandesa e uma boa prosa! :)

Escolhi esta obra para ser o Book da Semana porque ela está dentre os livros que li e lerei durante a semana. Darei início hoje, na noite de terça-feira, para embalar o sono – uma leitura bastante propícia para tal. Mas ao mesmo tempo ela requer atenção aos detalhes para melhor interpretação, entendimento e apreciação.

Noites sem fim é composta por sete capítulos onde encontramos cada um dos irmãos Perpétuos (Morte, Desejo, Delirium, Sonho, Desespero, Destruição e Destino) com maravilhosas artes de cartunistas escolhidos especialmente para esta magnífica edição de Sandman.

Resenha: Peter e Wendy

Há muito tempo que um livro fantasioso não me encantava tanto. O último mais marcante deve ter sido As Crônicas de Nárnia, que li em 2012 e fiquei nesse hiato de não-encanto-magia por quase três anos! Mas agora quem assumiu esse posto foi “Peter e Wendy”, o segundo livro que li em 2015. É uma obra de J.M. Barrie e é também a história em que a Disney se baseou para fazer sua clássica animação de 1953 e que acredito que foi através desse desenho que muitas pessoas tiveram um contato inicial com a história de Peter Pan.

Ao contrário do que eu imaginava, o filme produzido pela Revolution Studios e distribuído pela Columbia Pictures e Universal Studios em 2003 é muito mais fiel ao livro do que a versão da Walt Disney.

(mais…)

Book da Semana: Triste Fim de Policarpo Quaresma

Muita gente que não tem tanto costume de ler também costuma ter um certo preconceito com obras clássicas, principalmente aquelas que receberam o título de “leitura obrigatória para o vestibular”. Justamente por serem livros que, na teoria, precisamos ler, as pessoas acabam optando pelo resumo do resumo, conhecendo a obra superficialmente, deixando de apreciar histórias extraordinárias.

Mas por mais que eu esteja aqui defendendo os clássicos da literatura,  há, sim, muitas obras bem cansativas de se ler, com uma linguagem antiga e complicada, que não despertam tanto o nosso interesse em prosseguir a leitura, forçando-nos a “terminar logo”, sem nenhum prazer pelo que leu.

Em contrapartida, temos também nessa lista uma série de obras excelentes e que nos envolvem mais a cada parágrafo. Uma prova disso é o Book dessa Semana: Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, consagrado escritor nascido no Rio de Janeiro, publicado em 1911 e que facilmente podemos compará-lo com a história de Dom Quixote de la Mancha, o Cavaleiro da Triste Figura (inclusive Ricardo Coração dos Outros pode ser comparado ao seu mais fiel escudeiro Sancho Pança). (mais…)