Nova Ortografia Resumida (Parte 4)

Sim, pessoal! Hoje iremos ressuscitar essa série da nova ortografia que parecia estar abandonada mas não está!
E como definimos, este é o penúltimo post sobre o novo acordo ortográfico e nele falaremos sobre monossílabos tônicos e encontros vocálicos.

Até então já vimos:

Introdução
Atualização do Alfabeto e o Trema (Parte I)
Tonicidade e Oxítonas (Parte II)
Paroxítonas e Proparoxítonas (Parte III)

Muito bem, vamos lá!


Monossílabos

Os monossílabos, como o próprio nome diz, são simplesmente uma única sílaba, por exemplo: pá, pó, nó, em, da, entre outros.

Eles podem ser classificados como tônicos ou átonos. Os monossílabos tônicos são assim chamados por causa de sua intensidade na pronúncia, uma vez que não precisam de outra palavra para serem utilizados em uma frase – são totalmente independentes quanto ao valor fonético. Por exemplo: pá, chá, há, pô (-lo/-la), vê, pé, pó, dá(-lo/-la).

Já os monossílabos átonos são o oposto pois precisam se “apoiar” numa sílaba da palavra seguinte para serem notados. Por exemplo: de, em, te, lhe.

Agora que já sabemos a diferença entre monossílabos átonos e tônicos, a regra que temos que saber sobre a nova ortografia é que somente acentuaremos os monossílabos tônicos terminados em a, e, o seguidos ou não de s.
Exemplo: pá(s), pó(s), já, lê.

Só isso! :)

Fácil, né?  Então agora vamos para o último tópico de hoje.

Encontros vocálicos

A regra também é simples e trata-se de três casos no total.
Dois deles em que levam acento e um em que o acento caiu. Vejamos abaixo:

REGRA Nº 1:

Somente colocamos o acento agudo no i e u presentes em oxítonas ou paroxítonas SE E SOMENTE SE eles forem HIATOS e estivem SOZINHOS NA SÍLABA, ou acompanhados de s, e se NÃO estiverem ANTES DE nh NEM DEPOIS de DITONGO DECRESCENTE. Oh, God. Tanta coisa pra gravar.

Então vamos aos exemplos: país, viúva, saúva, aí, caída, saía, faísca, saída, possuí-lo.
Observe que todas essas palavras possuem hiatos (vogais grudadas na palavra, porém separadas silabicamente), sendo que i e estão sozinhos na sílaba, ou acompanhados de s, como em fa-ís-ca.

As palavras ruim, trair e juiz, por exemplo, também possuem hiato. MAS não são acentuadas porque o i e o u não estão sozinhos na sílaba: ru-im, tra-ir, ju-iz. Neste caso a letra que acompanha o já está dando sua força na pronúncia, dispensando o acento agudo.

Em campainha, rainha e moinho, também não utilizamos o acento agudo porque logo depois do i tem um nh logo em seguida, dispensando sua acentuação.

E por último, em feiura, baiuca e boiuno não são acentuados porque são precedidos de ditongos decrescentes: fei-u-ra, bai-u-ca e boi-u-no.

REGRA Nº 2:

O acento agudo continua firme e forte nas oxítonas precedidas de ditongo: Piauí, tuiuiú. (Essa é fácil!)

REGRA Nº 3:

Não utilizamos mais o acento agudo no u tônico das sequências verbais gue, gui, que e qui. Exemplo: argui, averigue e oblique.

 Por hoje chega de nova ortografia, né?
O próximo e último post dessa série (finalmente!) será sobre o tema mais esperado: o hífen! Aguardo vocês! ;)

Continuação

Comentários

comentários

One Response to “Nova Ortografia Resumida (Parte 4)”

  1. […] acentuação gráfica falando sobre monossílabos tônicos e um anexo sobre encontros vocálicos (Parte 4). Então só ficará pendente mais um post, talvez o mais esperado de todos: o uso do hífen […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *